Templo De Zeus Olímpico: Melhores Dicas Para Visitar Em 2023

O Templo de Zeus Olímpico em Atenas é uma obra-prima arquitetónica da Grécia Antiga. Também conhecido como Olimpeu, este templo foi construído entre o século VI a.C. e o século II d.C., para homenagear Zeus (o rei dos deuses do Olimpo).

Situado a sudeste da icónica Acrópole de Atenas, o Templo de Zeus Olímpico é um monumento em ruínas, do qual apenas restam dezasseis colunas (quinze em pé e uma outra tombada no chão). Mas já foi em tempos considerado um dos maiores templos e mais famosos templos gregos da Antiguidade Clássica!

Por isso, queres saber mais sobre o Templo De Zeus Olímpico: Melhores Dicas Para Visitar Em 2023? Continua a ler!

Este artigo pode conter links de afiliados, o que significa que eu ganho uma pequena comissão se fizeres uma compra, sem nenhum custo adicional para ti. Lê o meu aviso legal & política de privacidade para mais informações.

Sem tempo para ler agora? Guarda para depois!

Templo de Zeus Olímpico
Templo de Zeus Olímpico

Breve História do Templo de Zeus Olímpico

O Templo de Zeus Olímpico começou a ser construído durante o governo de Pisístrato, por volta de 550 a.C.. No entanto, as obras foram interrompidas em diversas ocasiões e só ficaram concluídas mais de seis séculos depois, já no reinado do Imperador Romano Adriano.

Devido ao seu período “interminável” de construção, o Olimpeu sofreu inúmeras alterações estruturais. Além disso, acabou por ser adaptado às três ordens arquitetónicas gregas (dórica, jónica e coríntia), consoante o momento histórico em que decorriam as obras.

Quando Adriano chegou ao poder, mandou colocar uma estátua colossal de Zeus, feita de ouro e marfim, no interior do monumento. Como forma de agradecimento, o povo de Atenas criou uma estátua do Imperador Romano, que ergue nas traseiras do Templo de Zeus Olímpico.

Depois da sua consagração em 132 d.C., o Olimpeu tornou-se o templo mais importante da Grécia. Apesar disso, foi danificado durante o Saque de Atenas em 267 d.C. (levado a cabo pelos Hérulos, um povo germânico responsável pela pilhagem da Acrópole de Atenas). E quando os últimos imperadores romanos começaram a proibir o Paganismo, o sítio foi deixado ao abandono.

Como Chegar ao Templo de Zeus Olímpico

O Templo de Zeus Olímpico encontra-se num enorme descampado, a cerca de 350 metros do Museu da Acrópole e da encosta sul da Acrópole de Atenas. E eis outros monumentos e pontos de interesse que podes visitar nas redondezas:

  • Zappeion (a 450 m) – um centro de conferências e exposições em estilo neoclássico, com um grande parque arborizado
  • Estádio Panatenaico (a 700 m) – um estádio em mármore pentélico, onde decorreram os primeiros Jogos Olímpicos Modernos, em 1896
  • Jardim Nacional de Atenas (a 750 m) – o maior “parque verde” da cidade, com quase 160 mil m² e mais de 500 espécies de plantas
  • Praça Sintagma (a 750 m) – a praça central de Atenas, também conhecida como Praça da Constituição
  • Túmulo do Soldado Desconhecido (a 750 m) – memorial em homenagem aos soldados mortos na guerra, é guardado pelos Evzones da Guarda Presidencial
  • Parlamento Helénico (a 750 m) – o Parlamento da Grécia, localizado no Antigo Palácio Real

Horários de Abertura & Preços de Bilhetes

O Olimpeu está aberto todos os dias, das 08:00 às 17:00, sendo que a última entrada acontece às 16:40. E embora não tenho uma dia de encerramento semanal como a maioria dos museus e monumentos, este sítio arqueológico está fechado nos feriados de 1 de janeiro, 25 de março (Dia da Independência da Grécia), domingo de Páscoa, 1 de maio e nos dias 25 e 26 de dezembro.

Quando aos bilhetes, estes custam 8€ (tarifa normal) ou 4€ (tarifa reduzida). Existe ainda um bilhete combinado a 30€, que é válido durante 5 dias e inclui a entrada em sete locais diferentes:

  1. Acrópole de Atenas
  2. Ágora Antiga de Atenas
  3. Ágora Romana
  4. Biblioteca de Adriano
  5. Sítio Arqueológico de Kerameikos
  6. Sítio Arqueológico do Liceu de Aristóteles
  7. Templo de Zeus Olímpico

Podes comprar entradas para museus, monumentos e sítios arqueológicos da Grécia na bilheteira online do Ministério da Cultura e dos Desportos grego. Mas também há datas em que o acesso é gratuito, como nos dias:

  • 6 de março (Dia de Melina Mercouri)
  • 18 de abril (Dia Internacional dos Monumentos)
  • 18 de maio (Dia Internacional dos Museus)
  • Último fim de semana de setembro (Dias do Património Europeu)
  • 28 de outubro (Dia de Ohi, ou Dia do Não)
  • Primeiro domingo do mês, entre novembro e março

O Que Ver no Templo de Zeus Olímpico

Arco de Adriano

Apesar de não integrar o perímetro cercado do complexo arqueológico do Templo de Zeus Olímpico, decidi incluir o Arco de Adriano neste guia de visita. Até porque se encontra a apenas 50 metros de distância!

O Arco de Adriano foi erigido em homenagem ao Imperador Adriano, na altura em que este veio a Atenas consagrar o Olimpeu.

Com 18 metros de altura, é todo feito em mármore branco do Monte Pentélico (o local de onde foi extraído o mármore para a construção dos vários monumentos da Acrópole e de muitos outros espalhados pela capital grega, incluindo o Templo de Zeus Olímpico).

Este portão monumental é inspirado nos propileus tradicionais gregos e nos arcos triunfais romanos. Situado numa estrada que atravessava Atenas, servia de “fronteira” entre a cidade antiga (fundada por Teseu, o rei e herói da mitologia grega) e a cidade nova (reformulada por Adriano).

Banhos Romanos

Depois de entrares no perímetro do sítio arqueológico do Olimpeu, vais passar pelos Banhos Romanos. Como já deves saber, os Banhos (ou Termas) eram um local muito frequentado pelos romanos, quer para fins recreativos como terapêuticos.

Nos últimos anos de construção do Templo de Zeus Olímpico, a cidade de Atenas já vivia sob a influência do Império Romano. Por isso, os gregos decidiram criar um pequeno complexo de banhos públicos. As obras começaram em 124 d.C. e prolongaram-se até 131 d.C., pouco antes da consagração do Olimpeu.

Em algumas zonas, ainda é possível observar partes do piso decorado com ladrilhos de mármore policromado. Os romanos apelidavam esta técnica decorativa de “opus sectile”, que consistia no arranjo de pedras coloridas em painéis, de forma a criarem uma imagem ou padrão geométrico. O resultado era parecido com o dos mosaicos romanos, mas o “opus sectile” utilizava pedaços maiores e irregulares.

Templo de Zeus Olímpico

O Templo de Zeus Olímpico é, logicamente, o monumento principal do complexo arqueológico homónimo. As poucas ruínas que sobreviveram escondem o passado de glória de um templo grandioso, que já teve 108 metros de comprimento e 41 metros de largura!

Parece difícil imaginar, mas o Olimpeu era composto por 104 colunas coríntias. Sim, cento e quatro! Só que ao longo de séculos, muitos dos blocos de mármore foram utilizados para construir outros edifícios da cidade e grande parte da estrutura que sobreviveu às pilhagens, foi destruída por um terramoto.

Na primeira metade do século XV, já só existiam 21 colunas em pé – como contam os relatos do arqueólogo e humanista italiano Ciríaco de Ancona, na sua visita à capital da Grécia. Hoje em dia, não há qualquer vestígio do interior do Templo do Zeus Olímpico nem sequer das suas magníficas estátuas (a de Zeus e a de Adriano).

Outros Monumentos no Templo de Zeus Olímpico

O complexo arqueológico do Olimpeu engloba uma série de ruínas que constituem mais de uma dezena de monumentos. Além do Arco de Adriano, dos Banhos Romanos e do Templo de Zeus Olímpico, também encontras:

  • Ruínas de casas – residências em estilo clássico, edificadas entre os séculos V a.C. e II d.C.
  • Basílica do Olimpeu – data do ano 450 d.C. e foi um dos primeiros templos cristãos de Atenas
  • Templo de Apolo Delfínio – foi erigido em 450 a.C. e abrigava um Tribunal de Justiça, onde eram julgados certos tipos de homicídios
  • Templo de Cronos e Reia – um pequeno templo de 150 d.C., dedicado aos pais de Zeus (Cronos era o Deus do Tempo e o Rei dos Titãs, e Reia era apelidada de “Mãe dos Deuses”)
  • Santuário de Zeus Pan-helénico – outro monumento dedicado a Zeus, de 131-132 d.C.
  • Três portões da Muralha Temistocleana – criada em 479-478 a.C. (depois das Guerras Greco-Persas), para defender a cidade de invasões futuras
  • Muralha Valeriana – outra das muralhas de Atenas, projetada como uma fortificação de apoio às muralhas primitivas, entre 256 e 260 d.C.

Partilha este artigo nas tuas redes sociais!

Mais Artigos sobre a Grécia

Mais Artigos sobre Sítios Arqueológicos

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Scroll to Top