1 Dia Nas Cinque Terre: O Roteiro Das Cinque Terre Perfeito

As aldeias Cinque Terre são dos locais mais pitorescos e fotogénicos de Itália, além de serem Património Mundial da UNESCO desde 1997. Tal como o nome indica, estes cinco vilarejos centenários foram construídos nas encostas acidentadas da Riviera Italiana, na província de La Spezia, região da Ligúria.

Em cada uma das Cinque Terre, vais encontrar casas coloridas e praticamente sobrepostas. Os terrenos em redor estão quase todos cultivados com vinhas e os portos enchem-se de barcos de pesca. Também existem diversos restaurantes e trattorie que servem especialidades da região, por isso procura pratos com frutos do mar e o famoso molho da Ligúria, o pesto!

Por isso, queres saber mais sobre 1 Dia Nas Cinque Terre: O Roteiro Das Cinque Terre Perfeito? Continua a ler!

Este artigo pode conter links de afiliados, o que significa que eu ganho uma pequena comissão se fizeres uma compra, sem nenhum custo adicional para ti. Lê o meu aviso legal & política de privacidade para mais informações.

Sem tempo para ler agora? Guarda para depois!

Roteiro das Cinque Terre
Roteiro das Cinque Terre

Breve História das Cinque Terre

As aldeias Cinque Terre começaram por pertencer à República de Génova durante a Idade Média, sendo que os primeiros registos mencionando as pequenas aldeias datam do século XI. Durante os séculos seguintes, os cinco povoados foram-se desenvolvendo, sobretudo em torno das atividades piscatórias e vinícolas.

Com a emergência da cidade de La Spezia e a construção de uma linha ferroviária que a ligava a Génova, a comunidade começou a migrar para os centros populacionais vizinhos, deixando as Cinque Terre à beira da ruína económica.

No entanto, a partir das décadas de 1960-1970, o crescimento do turismo nesta zona da Riviera Italiana trouxe prosperidade de volta aos vilarejos. O cultivo da uva branca e da azeitona intensificou-se desde aí, ao mesmo tempo que as antigas cabanas de pescadores junto à praia foram restauradas e transformadas em atrações turísticas.

Hoje em dia, as Cinque Terre vivem do turismo em massa, especialmente na época alta (entre maio e outubro). É um destino perfeito para uma day trip a partir de Florença, Bolonha, Génova ou Milão, porém podes prolongar a tua estadia por mais 1 ou 2 dias, para desfrutares completamente da beleza deste Parque Nacional.

Património Mundial

Sabias que as Cinque Terre fizeram parte do terceiro conjunto de inscrições de Itália na Lista do Património Mundial da UNESCO? Esta 21ª sessão do Comité de Património Mundial realizou-se em Nápoles (Itália), entre os dias 1 e 6 de dezembro de 1997.

Nove outros sítios italianos foram anunciados na sessão: a Área Arqueológica de Agrigento; a Catedral, Torre Civica e Piazza Grande, Modena; a Costa Amalfitana; as Áreas Arqueológicas de Pompeia, Herculano e Torre Annunziata; as Residências da Real Casa de Saboia; a Villa Romana del Casale; o Jardim Botânico (Orto Botanico), Pádua; o Palácio Real do Século XVIII em Caserta com o Parque, o Aqueduto de Vanvitelli e o Complexo San Leucio; e o Su Nuraxi de Barumini.

Hoje em dia, Itália é o país do mundo com mais sítios UNESCO: possui cinquenta e oito bens patrimoniais (tanto culturais, como naturais) inscritos na lista mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura!

Entretanto, já tive a oportunidade de visitar cinco:

Visitar as Cinque Terre

Monterosso al Mare, Vernazza, Corniglia, Manarola e Riomaggiore são os nomes das aldeias Cinque Terre que vais querer recordar. Existe um trilho que as percorre, chamado Sentiero Azzurro (“Caminho Azul”), caso dispenses a viagem de comboio. É o trilho mais rápido entre as vilas, porque passa junto ao mar e possui quatro paragens, para que possas aproveitar cada uma delas.

Entre Riomaggiore e Manarola, encontra-se a Via dell’Amore (“Caminho do Amor”), uma parte do percurso pedestre do Sentiero Azzurro, com vistas panorâmicas sobre o mar e uma extensão de pouco mais de um quilómetro. Apesar de ser a parte mais conhecido da caminhada, está em obras há vários anos e só está previsto reabrir na primavera de 2023.

Informações Práticas

Para começar, o acesso de carro dentro das aldeias Cinque Terre é extremamente limitado. Não apenas algumas das ruas são muito estreitas, mas as estradas terminam antes das aldeias – como é o caso de Vernazza. Mesmo assim, se preferires viajar de carro, podes encontrar parques de estacionamento à entrada das aldeias.

Portanto, a minha recomendação é que utilizes o comboio regional chamado 5Terre Express, operado pela Trenitalia. Este comboio opera entre La Spezia (estação La Spezia Centrale) e Levanto, e a viagem entre cada uma das aldeias Cinque Terre leva apenas 3 minutos.

Um bilhete com a tarifa Cinque Terre custa €4 (adultos) ou €2 (crianças entre os 4 e os 12 anos). No entanto, este bilhete é válido apenas para uma viagem entre La Spezia e Levanto (ou vice-versa), que deve ser feita em 75 minutos após a validação e não permite paradas intermediárias. Parece confuso, não é?

A melhor solução é comprar o Cinque Terre Treno MS Card, à venda em qualquer uma das bilheteiras físicas da Trenitalia e pontos de venda do Parco Nazionale delle Cinque Terre (ou online, se preferires). Podes escolher o bilhete para 1, 2 ou 3 dias, a 16€, 29€ e 41€, respetivamente. Também existem tarifas especiais diárias para crianças até 12 anos (10€), pessoas com mais de 70 anos (13€) e famílias com crianças até 12 anos (42€).

Com ele, tens direito a viagens ilimitadas em 2ª classe, nos comboios regionais entre La Spezia e Levanto (ou vice-versa). Este cartão é nominativo e intransferível, pelo que deves escrever o teu nome no mesmo antes da primeira validação (às vezes, é pedido um documento de identificação no momento da fiscalização).

Posto isto, é importante salientar que o transporte público para praticamente no centro de cada uma das aldeias, exceto Corniglia. Isto porque Corniglia não está situada na costa, pelo que terás de desembarcar junto à praia e depois subir os mais de 300 degraus, pelo meio do Parco Nazionale!

Roteiro das Cinque Terre

Monterosso al Mare

Se vais visitar as Cinque Terre a partir de La Spezia, então Monterosso al Mare é a última paragem, mas a melhor vila para começar (na minha opinião). A viagem de comboio dura menos de 20 minutos, durante os quais podes admirar as grandes encostas montanhosas com o mar a perder de vista.

Monterosso é conhecida principalmente por ter a maior e melhor praia de areia das aldeias Cinque Terre. Chama-se Spiaggia di Fegina e aqui vais ter de “lutar” por um lugar se não chegares de manhã cedo, porque boa praia é sinónimo de multidão.

Caso dispenses estender-te na toalha – tal como eu – podes visitar as lojas e restaurantes locais, que vendem artesanato e iguarias da região. Vais igualmente aperceber-te que existe uma parte velha e uma parte nova da vila, ambas repletas de alojamentos turísticos.

No que diz respeito a monumentos, são quase todos de caráter religioso. Em resumo, no centro histórico de Monterosso al Mare podes visitar o Convento dei Cappuccini, a Chiesa di San Francesco, a Chiesa di San Giovanni Battista e o Oratorio dei Neri. Pelo caminho, vais avistar uma estátua de São Francisco de Assis, o padroeiro de Itália.

Sentiero Azzurro (Caminho Azul): 1h30′ entre Monterosso e Vernazza (inclui degraus!)

Vernazza

Há quem diga que Vernazza é a mais bonita das Cinque Terre, mas eu ainda não consegui escolher a minha preferida. Certo é que, juntamente com Manarola, parece ser o vilarejo mais popular entre os turistas, particularmente durante o dia.

Só para ilustrar, para aqueles que escolhem fazer o Sentiero Azzurro, a vista do trilho sobre Vernazza tem um preço inestimável. Além disso, podes subir ao campanário da Chiesa di Santa Margherita di Antiochia com 40 metros de altura, para conseguires uma visão de 360º sobre a aldeia.

Esta igreja românica do século XI demorou quase sete séculos a ser completamente terminada, entre sucessivas ampliações e reformulações no seu interior. Já em 1750, o monumento ganhou revestimentos em estilo barroco e, um século mais tarde, o atual acesso através da Piazza Guglielmo Marconi.

Mais afastado do centro, mas igualmente digno de visita, é o Castello Doria, que fica situado na outra ponta de Vernazza. Muito bem enquadrado na paisagem e com as melhores panorâmicas do local, do castelo apenas sobreviveu uma torre, para a qual é necessário pagar uma entrada para visitar.

Sentiero Azzurro (Caminho Azul): 1h30′ entre Vernazza e Corniglia (inclui degraus!)

Corniglia

382 degraus é o que te separa da bela Corniglia… Por isso, respira fundo e vamos continuar este roteiro das Cinque Terre!

Corniglia é, honestamente, a mais desvalorizada das aldeias Cinque Terre, portanto usa isso como uma vantagem! Como te avisei anteriormente, esta é a única localidade que não foi construída diretamente junto à costa. Contudo, a sua localização atípica no topo de uma colina significa uma coisa muito importante: menos gente!

Em primeiro lugar, vais subir a Scalinata Lardarina, uma escadaria na falésia que incorpora miradouros pelo caminho. Apesar da “escalada” entre a estação ferroviária e o vilarejo não ser difícil, podes optar pelo autocarro que faz o transfer, por um custo adicional. Quer desças na paragem da Via Stazione ou de Corniglia, estás a apenas 100 metros da Chiesa di San Pietro, a igreja matriz de Corniglia, em estilo gótico.

A atividade turística e comercial do centro-vila desenvolve-se à volta do Largo Taragio, marcado pelo Oratorio dei Disciplinati di Santa Caterina, uma pequena capela de aspeto rústico, com vistas marítimas maravilhosas nas traseiras. Aliás, quando passeias por Corniglia, percebes rapidamente que esta esconde as melhores vistas sobre o Mar Mediterrâneo (ou, mais especificamente, do Mar da Ligúria)!

Corniglia pareceu-me ser a mais pequena que as cinco aldeias, mas muito bonita na mesma. As vinhas que a circundam produzem as uvas usadas no vinho mais conhecido da região, o Vernaccia di Corniglia. Podes encontrá-lo em praticamente todos os restaurantes e bares das aldeias Cinque Terre e é perfeito para acompanhar um bom prato de pasta con pesto ou uma refeição de frutos do mar.

Sentiero Azzurro (Caminho Azul): 1h entre Corniglia e Manarola

Manarola

Manarola é, provavelmente, a aldeia mais turística e pitoresca deste destino imperdível em Itália. Antes de mais nada, foi o local onde escolhi parar para um mergulho – se bem que não existe praia como em Monterosso al Mare, apenas rochedos.

Segundo os historiadores, esta foi a primeira das aldeias Cinque Terre a ser fundada, muito devido à sua Chiesa di San Lorenzo, que data da era medieval. Na mesma praça da igreja – a Piazza Papa Innocenzo IV – existe um campanário que também podes visitar.

Curiosamente, para chegares a Manarola a partir da estação de comboios, tens de atravessar um túnel bastante extenso, que por acaso serviu de abrigo aos habitantes durante a Segunda Guerra Mundial. Pelas placas e tabuletas de informações que encontras pelo caminho, dá para entender que se fala um dialeto muito próprio, chamado Manarolês (ou, em italiano, Manarolese).

Assim como em Corniglia, existe um vinho local muito conhecido, com o nome de Sciacchetrà e com um selo de origem controlada. As vinhas cultivadas nos socalcos acabam por gerar um “vinho doce” (“vino passito”) e a palavra “sciacchetrà” deriva do verbo “schiacciare”, que basicamente quer dizer “esmagar”.

Sentiero Azzurro (Caminho Azul): 0,20′ entre Manarola e Riomaggiore (Via dell’Amore)

Riomaggiore

Eu escolhi terminar o meu roteiro das Cinque Terre em Riomaggiore e ainda bem que assim foi! A verdade é que o pôr-do-sol aqui é dos mais inesquecíveis que já vi em toda a minha vida!

Em primeiro lugar, quando chegas a Riomaggiore, o comboio deixa-te junto a um túnel em menos de 10 minutos, que te leva ao coração da vila (tal como em Manarola).

Ao saíres deste mesmo túnel, segue em frente e sobe as escadas que revelam a praça central da vila, a Piazza Vignaioli.

Daqui já tens vistas magníficas não só do mar, mas também das casas coloridas com as portadas das janelas verdes, tão caraterísticas dos postais das aldeias Cinque Terre!

Se procuras o local ideal para tirar fotografias ou simplesmente admirar a paisagem, desce em direção à praia. Aqui, vais encontrar imensos barcos de pesca atracados e pontos de comércio e restauração local, bem como a maioria dos turistas. Ah, e uma última dica! Dirige-te aos miradouros laterais, para conseguires os melhores ângulos de Riomaggiore, durante qualquer altura do dia!

Mapa do Roteiro das Cinque Terre

Partilha este artigo nas tuas redes sociais!

Mais Artigos sobre Itália

Mais Artigos sobre Património Mundial

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Scroll to Top