Museu Judaico De Praga: Melhores Dicas Para Visitar Em 2024

O Museu Judaico de Praga (em checo, Židovské Muzeum) é um conjunto de templos religiosos e outros locais de interesse cultural situados na Cidade Velha (em checo, Staré Město), um dos bairros históricos da cidade de Praga – mais concretamente em Josefov, o bairro judeu da capital checa!

Dispersas por cinco ruas adjacentes, as exposições do Museu Judaico de Praga podem ser visitadas em cinco sinagogas – Sinagoga Pinkas, Sinagoga Klausen, Sinagoga Velha-Nova, Sinagoga Maisel e Sinagoga Espanhola – assim como no Antigo Cemitério Judaico e no Salão Ceremonial!

Por isso, queres saber mais sobre o Museu Judaico De Praga: Melhores Dicas Para Visitar Em 2024? Continua a ler!

Este artigo pode conter links de afiliados, o que significa que eu ganho uma pequena comissão se fizeres uma compra, sem nenhum custo adicional para ti. Lê o meu aviso legal & política de privacidade para mais informações.

Sem tempo para ler agora? Guarda para depois!

Museu Judaico de Praga
Museu Judaico de Praga

Breve História do Museu Judaico de Praga

O Museu Judaico de Praga foi constituído em 1906 pelo Doutor Salomon Hugo Lieben e o Doutor Augustin Stein, para documentar a história, costumes e tradições judaicas das terras checas, assim como de preservar artefactos de sinagogas de Praga demolidas no início do século XX.

Praga é um dos centros judaicos mais antigos e proeminentes da Europa Central. Por essa razão, não é de admirar que o Museu Judaico de Praga seja um dos museus mais visitados da cidade. Aliás, a sua coleção é uma das maiores do mundo, com cerca de 100 mil livros e 40 mil objetos!

Como Chegar ao Museu Judaico de Praga

O Museu Judaico de Praga está muito perto de outro pontos de interesse, como a Praça da Cidade Velha (a 300 metros), o Convento de Santa Inês da Boémia (a 350 metros), o Orloj (a 350 metros), a Igreja da Nossa Senhora em frente de Týn (a 400 metros) e a Torre da Pólvora (a 800 metros).

Devido à sua excelente localização no bairro da Cidade Velha de Praga, o Museu Judaico de Praga é servido por vários tipos de transportes públicos: metro (linha A, estação Staroměstská), elétrico (linhas 17, 27 ou 93, paragem Právnická Fakulta) e autocarro (linhas 194 ou 207, paragens Právnická Fakulta, U Staré Školy ou Staroměstská).

Horários de Abertura & Preços de Bilhetes

O Museu Judaico de Praga está aberto de domingo a sexta-feira, das 09:00 às 16:30 (de janeiro a março, e em novembro e dezembro) ou das 09:00 às 18:00 (de abril a outubro), sendo que a bilheteira encerra 30 minutos antes da hora de fecho. Além dos sábados, o museu não abre nos feriados judaicos.

No que diz respeito a bilhetes, estes custam 500 CZK (tarifa normal), 370 CZK (estudantes com menos de 26 anos) ou 180 CZK (crianças dos 6 aos 15 anos), sendo que os menores de 6 anos não pagam entrada. Mas podes consultar todas as informações práticas no site oficial do Museu Judaico de Praga!

O Que Ver no Museu Judaico de Praga

Pinkasova Synagoga

A Sinagoga Pinkas (em checo, Pinkasova Synagoga) é a segunda sinagoga mais antiga e bem preservada de Praga, datando de 1535. Com elementos góticos tardios e renascentistas, a sua construção deve-se a Aharon Meshulam Horowitz, um membro influente da Comunidade Judaica de Praga.

Convertida num memorial na década de 1950, a Sinagoga Pinkas esteve fechada ao público desde a invasão soviética de 1968 até à queda do regime comunista em 1995. Hoje em dia, as suas paredes exibem os nomes de quase 80 mil vítimas do Holocausto, oriundas das regiões da Boémia e Morávia.

No primeiro andar da Sinagoga Pinkas, uma exposição permanente apresenta desenhos de crianças judias aprisionadas no ínfame Gueto de Terezín durante a Segunda Guerra Mundial. Estas obras infantis foram conduzidas pela artista e educadora austríaca Friedl Dicker-Brandeis.

Starý Židovský Hřbitov

O Antigo Cemitério Judaico (em checo, Starý Židovský Hřbitov) é um dos cemitérios judaicos mais antigos e bem preservados não só da Europa, como também do mundo. Além disso, é considerado um dos locais mais importantes da Cidade Judaica de Praga, juntamente com a Sinagoga Velha-Nova.

Fundado na primeira metade do século XV, o Antigo Cemitério Judaico acolhe mais de 12 mil lápides, muitas delas ornamentadas com motivos animais e vegetais. Curiosamente, a primeira sepultura remonta a 1439, enquanto que a mais recente é de 1787!

O Antigo Cemitério Judaico é o local de descanso final do Maharal de Praga ou Judá Loew ben Betzalel, um matemático e filósofo polaco que serviu a Comunidade Judaica de Praga durante grande parte da sua vida no século XVI como Rabino Loew.

Klausová Synagoga

A Sinagoga Klausen (em checo, Klausová Synagoga) é a maior sinagoga da Cidade Judaica de Praga e foi igualmente a segunda sinagoga principal da Comunidade Judaica de Praga durante vários séculos. Podes encontrá-la a escassos metros do Antigo Cemitério Judaico e do Salão Ceremonial.

Erguida em estilo barroco inicial em 1694, a Sinagoga Klausen está instalada no local de uma antiga yeshivá, uma instituição educacional judaica tradicional focada no estudo da literatura rabínica. Esta havia sido estabelecida pelo célebre Rabino Loew.

A exposição permanente da Sinagoga Klausen chama-se “Costumes e Tradições Judaicos” (em checo, “Židovské tradice a zvyky”) e inclui mobiliário e objetos relativos ao Judaísmo, ao culto judaico, ao Sabat e a outros feriados e celebrações religiosas judaicas.

Obřadní Síň

O Salão Ceremonial (em checo, Obřadní Síň) foi erigido entre 1906 e 1908 para a Sociedade Funerária de Praga, que também usava a vizinha Sinagoga Klausen como local de oração. Esta reputada instituição religiosa e social foi constituída pelo Rabino Eliezer Ashkenazi em 1564.

Até ao final da Primeira Guerra Mundial, este edifício em estilo neo-românico serviu de morgue judaica, incorporando uma sala para a lavagem ritual dos defuntos no primeiro andar e o salão da própria Sociedade Funerária de Praga no segundo piso.

Depois de integrar o Museu Judaico de Praga em 1926, o Salão Ceremonial tornou-se o seu local de exibição primordial até 1940. Nos dias que correm, abriga a continuação da exposição permanente “Costumes e Tradições Judaicos”, com obras e relíquias ligadas a Praga e às terras checas.

Staronová Synagoga

A Sinagoga Velha-Nova (em checo, Staronová Synagoga) é o monumento mais antigo da Cidade Judaica de Praga e a sinagoga mais antiga em atividade contínua da Europa. Isto porque as suas origens remontam à década de 1280, quando foi construída em estilo gótico!

A Sinagoga Velha-Nova é a principal sinagoga da Comunidade Judaica de Praga há mais de 700 anos. Naturalmente, começou por ser apelidada de Nova ou Grande Sinagoga, tendo recebido o seu nome atual no século XVI com o aparecimento de outras sinagogas na cidade.

Reza a lenda que a Sinagoga Velha-Nova abriga no seu sótão os restos mortais de Golem, uma criatura mística feita de barro que ganhou vida pelas mãos do Rabino Loew. Outro mito popular fala que as suas pedras basilares foram trazidas por anjos do destruído Templo de Jerusalém.

Maiselova Synagoga

A Sinagoga Maisel (em checo, Maiselova Synagoga) foi fundada em 1592 como um templo privado por Mordecai Maisel, o presidente da Cidade Judaica de Praga na altura. A obra foi exequível graças aos apoios concedidos pelo imperador Rodolfo II.

Projetada em estilo renascentista por Judah Tzoref de Herz e Josef Wah, a Sinagoga Maisel era um templo religioso com três naves, uma caraterística incomum para a época. Contudo, o seu estilo neogótico atual é consequência de uma reconstrução efetuada entre 1893 e 1905.

A exposição permanente da Sinagoga Maisel tem o nome “Judeus nas Terras da Boémia, Séculos 10-18” (em checo, “Židé v českých zemích, 10.-18. století”) e conta com objetos de coleção raros e ecrãs sensíveis ao toque, que permitem examinar manuscritos hebraicos e mapas históricos!

Španělská Synagoga

A Sinagoga Espanhola (em checo, Španělská Synagoga) é a sinagoga mais recente da Cidade Judaica de Praga, tendo sido erguida em 1868. Um detalhe interessante a salientar é o facto de František Škroup, o compositor do hino nacional checo, ter sido organista residente aqui de 1836 a 1845!

O seu nome é uma alusão ao estilo neomourisco que adorna o seu interior e que faz lembrar a Alhambra de Granada, em Espanha. Enquanto que Josef Niklas e Jan Bělský ficaram a cargo do desenho exterior, Antonín Baum e Bedřich Münzberger foram os responsáveis pela decoração interior.

A exposição permanente da Sinagoga Espanhola intitula-se “Judeus nas Terras da Boémia, Séculos 19-20” (em checo, “Židé v českých zemích, 19.-20. století”) e aborda a história desde as reformas do imperador José II na década de 1780 até ao período após a Segunda Guerra Mundial.

Partilha este artigo nas tuas redes sociais!

Mais Artigos sobre a Chéquia

Mais Artigos sobre Guias de Museus

Mais Artigos sobre Templos Religiosos

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Scroll to Top