Antigo Cemitério De Kerameikos: Melhores Dicas Para Visitar Em 2023

O Cemitério de Kerameikos é um sítio arqueológico único na Grécia, pois serviu de cemitério da capital grega desde os tempos pré-históricos e durante mais de 1500 anos! Situadas a noroeste da Acrópole de Atenas, as ruínas daquele que foi o maior cemitério da Grécia Antiga atraem milhares de turistas todos os anos e eu não fui exceção!

Por vezes chamado de “Cerameico”, o Antigo Cemitério de Kerameikos deve o seu nome ao herói grego Céramo (um dos filhos do deus Dioniso e da princesa Ariadne), bem como ao antigo bairro de oleiros que aqui existia, uma vez que “kerameikos” significa “cerâmica” em grego.

Hoje em dia, o Cemitério de Kerameikos é um complexo composto por um parque arqueológico a céu aberto e por um museu com quatro salas, onde estão expostas muitas das lápides e esculturas funerárias encontradas durante as escavações que decorreram nos séculos XIX e XX.

Por isso, queres saber mais sobre o Antigo Cemitério De Kerameikos: Melhores Dicas Para Visitar Em 2023? Continua a ler!

Este artigo pode conter links de afiliados, o que significa que eu ganho uma pequena comissão se fizeres uma compra, sem nenhum custo adicional para ti. Lê o meu aviso legal & política de privacidade para mais informações.

Sem tempo para ler agora? Guarda para depois!

Cemitério de Kerameikos
Cemitério de Kerameikos

Breve História do Cemitério de Kerameikos

Como referi na introdução, “kerameikos” quer dizer “cerâmica” em grego. E a verdade é que a história do local onde hoje se encontra o Cemitério de Kerameikos está primeiramente relacionado com um bairro de oleiros e pintores de vasos, pois esta era uma zona muito rica em argila.

Na Grécia Antiga, a olaria era o tipo de artesanato mais popular, sendo utilizada no quotidiano doméstico, em cerimónias religiosas e fúnebres e até como forma de expressão artística. E Kerameikos tornou-se o principal centro de produção de todo o tipo de vasos, facilmente reconhecidos pelos seus tons negros e vermelhos.

Contudo, o político e general Temístocles ordenou a construção de uma muralha à volta de Atenas depois das Guerras Greco-Persas, para defender a cidade de invasões futuras. A chamada Muralha Temistocleana foi criada em 479-478 a.C., só que acabou por dividir o bairro de Kerameikos em dois.

Enquanto a secção dentro da cidade manteve a sua atividade no fabrico de cerâmica, a zona fora das muralhas foi convertida num cemitério. Depois disso, foram erguidos inúmeros edifícios e estruturas, cujas ruínas foram completamente esquecidas até à década de 1860!

Como Chegar ao Cemitério de Kerameikos

O Cemitério de Kerameikos está localizado no início da Rua Ermou, a rua mais popular e movimentada em Atenas, que liga este sítio arqueológico à icónica Praça Sintagma. Com cerca de 1,5 km de extensão, a Rua Ermou é conhecida pelas dezenas de lojas de marcas internacionais, tornando-a na rua mais cara da Grécia e numa das mais caras da Europa!

Horários de Abertura & Preços de Bilhetes

O Cemitério de Kerameikos está aberta de terça-feira a domingo, das 08:00 às 17:00, sendo que a última entrada acontece às 16:40. Além das segundas-feiras, tanto o Sítio Arqueológico como o Museu de Kerameikos estão fechados nos feriados 1 de janeiro, 25 de março (Dia da Independência da Grécia), domingo de Páscoa, 1 de maio e nos dias 25 e 26 de dezembro.

Quando aos bilhetes, estes custam 8€ (tarifa normal) ou 4€ (tarifa reduzida). Existe ainda um bilhete combinado a 30€, que é válido durante 5 dias e inclui a entrada em sete locais diferentes:

  1. Acrópole de Atenas
  2. Ágora Antiga de Atenas
  3. Ágora Romana
  4. Biblioteca de Adriano
  5. Sítio Arqueológico de Kerameikos
  6. Sítio Arqueológico do Liceu de Aristóteles
  7. Templo de Zeus Olímpico

Podes comprar entradas para museus, monumentos e sítios arqueológicos da Grécia na bilheteira online do Ministério da Cultura e dos Desportos grego. Mas também há datas em que o acesso é gratuito, como nos dias:

  • 6 de março (Dia de Melina Mercouri)
  • 18 de abril (Dia Internacional dos Monumentos)
  • 18 de maio (Dia Internacional dos Museus)
  • Último fim de semana de setembro (Dias do Património Europeu)
  • 28 de outubro (Dia de Ohi, ou Dia do Não)
  • Primeiro domingo do mês, entre novembro e março

O Que Ver no Cemitério de Kerameikos

Portão Dipylon

O Portão Dipylon foi construído em 478 a.C. como parte da Muralha Temistocleana e chegou a ser considerado o maior portão da Antiguidade Clássica. Também conhecido como Portões Triasianos, era composto por um arco duplo e quatro torres quadradas (uma em cada canto da estrutura).

Infelizmente, o Portão Dipylon teve de ser demolido no ano 404 a.C., depois de Atenas sair derrotada na Guerra do Peloponeso. Mas nas décadas seguintes, a cidade conseguiu recuperar as suas muralhas, incluindo esta entrada monumental.

Por aqui, passava a Dromos (ou “Estrada para a Academia”), uma estrada ampla que seguia em direção à Academia de Platão. Do lado de fora do Portão Dipylon, foi projetado o Demosion Sema – uma extensão do Cemitério de Kerameikos destinada a figuras públicas da Grécia Antiga.

Neste local, foram enterrados inúmeros líderes políticos, generais de guerra e até filósofos e retóricos. E quando as escavações arqueológicas no Cemitério de Kerameikos começaram em 1870, o Portão Dipylon estava coberto por quase 10 metros de terra!

Pompeion

O Pompeion situa-se entre o Portão Dipylon e o Portão Sagrado e foi construído por volta de 400 a.C.. Naquela altura, possuía um pátio largo rodeado de colunas e um Propileu voltado para a cidade, além de outras pequenas divisões.

O edifício do Pompeion era o local onde decorriam as preparações para o festival mais importante da Grécia Antiga: as Panateneias. Estas festas em homenagem à deusa Atenas eram realizadas todos os anos (“Pequenas Panateneias”) e de quatro em quatro anos (“Grandes Panateneias”), por altura do Verão.

Entre as celebrações mais populares, havia procissões cerimoniais (que saíam do Portão Dipylon), rituais religiosos (que incluíam sacrifícios) e, claro, os famosos Jogos Panatenaicos (competições de música e desporto, que estiveram na génese dos atuais Jogos Olímpicos).

Portão Sagrado

O Portão Sagrado era outra entrada da muralha em Kerameikos, erguido no lado sul do Pompeion.

Neste local, começava o Caminho Sagrado para Elêusis, uma cidade a menos de 20 km de Atenas, onde eram realizados os famosos “Mistérios de Elêusis” (ritos secretos em honra das deusas Deméter e Perséfone).

O Caminho Sagrado era uma das estradas mais antigas da Grécia, embora estivesse muitas vezes inundado nesta zona do Cemitério de Kerameikos. Isto porque aqui costumava existir um rio!

Muralha Temistocleana

Atualmente, a secção da Muralha Temistocleana que se encontra dentro do recinto do Antigo Cemitério de Kerameikos é a maior de todas. Existem outros vestígios desta muralha espalhadas pela cidade (incluindo três portões no Templo Olímpico de Zeus), mas as ruínas em Kerameikos são, sem dúvida, as mais impressionantes!

Como já deves ter percebido, a Muralha Temistocleana foi a estrutura defensiva mais importante da cidade de Atenas na Antiguidade Clássica. Além disso, está profundamente relacionada com a história do Cemitério de Kerameikos – em especial, com a sua divisão e reestruturação.

Estela de Panfile e Demétria

O Cemitério de Kerameikos acolhe uma das maiores e mais importantes coleções de lápides e esculturas funerárias da Grécia Antiga. E ainda que encontres vários exemplos dispersos pelo parque arqueológico, as obras originais estão protegidas no Museu de Kerameikos.

Dos artefactos em exposição neste pequeno museu arqueológico, destacam-se algumas estelas (colunas de pedra com inscrições comemorativas ou imagens em relevo, usadas frequentemente como lápides), como uma das irmãs Panfile e Demétria.

Esta peça funerária data de 325-310 a.C. e a sua réplica está localizada na chamada “Rua dos Túmulos”. Em termos históricos, a Estela de Panfile e Demétria tem uma relevância particular, visto que foi uma das últimas lápides criadas antes da lei de Demétrio de Faleros, que proibia a realização de túmulos demasiado elaborados!

“Rua dos Túmulos”

A “Rua dos Túmulos”, da qual se desconhece o seu antigo nome, é uma extensão do Caminho Sagrado e mais parece uma galeria de esculturas a céu aberto. É que é precisamente nesta zona do Cemitério de Kerameikos que se encontram os monumentos funerários mais luxuosos e imponentes dos séculos V e IV a.C.!

A maioria destas lápides e estelas pertenceram a famílias muito ricas de Atenas ou a estrangeiros influentes, que viviam na capital grega. Esculpidas em mármore (e ocasionalmente em calcário), estão obras de arte são também as que estão em melhor estado de conservação, dentro do Museu de Kerameikos.

Museu de Kerameikos

Numa visita ao Antigo Cemitério de Kerameikos, o Museu de Kerameikos costuma ser a última paragem do percurso. Na minha opinião, é também o que faz mais sentido. Desta forma, podes explorar as ruínas dos vários monumentos que constituem o parque arqueológico e depois admirar os artefactos encontrados nas escavações!

O Museu de Kerameikos foi fundado em 1863, mas o edifício atual é de 1937. No seu interior, existem quatro salas de exposição, onde as peças estão apresentadas por ordem cronológica. Três delas contém somente achados do Cemitério de Kerameikos e estão agrupadas de acordo com o local onde ficavam no sítio arqueológico.

Por último, podes passear num belo pátio exterior do museu, que está rodeado por uma estoa (um corredor ou galeria de colunas muito presente em edifícios públicos da Grécia Antiga). Ao longo das décadas, o Museu de Kerameikos foi alvo de sucessivas ampliações e intervenções, sendo que a última aconteceu no ano 2004.

Partilha este artigo nas tuas redes sociais!

Mais Artigos sobre a Grécia

Mais Artigos sobre Sítios Arqueológicos

Este artigo utiliza fotografias de stock (Getty Images)

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Scroll to Top