Castelo Do Sabugal: Melhores Dicas Para Visitar Em 2023

O Castelo do Sabugal é um dos castelos mais bonitos da arquitetura gótica portuguesa. Localiza-se na cidade e muncípio do Sabugal (no distrito da Guarda) – um território que pertenceu ao Reino de Leão até 1297, ano em que o Rei D. Dinis assinou o Tratado de Alcanizes.

Durante as Guerras Napoleónicas no início do século XIX, o Castelo do Sabugal serviu de quartel-general aos soldados portugueses e ingleses, que conseguiram impedir o avanço das tropas francesas lideradas pelo General André Masséna.

O Castelo do Sabugal também é conhecido como “Castelo das Cinco Quinas”, devido à forma invulgar da sua Torre de Menagem, que é de planta pentagonal.

Por isso, queres saber mais sobre o Castelo Do Sabugal: Melhores Dicas Para Visitar Em 2023? Continua a ler!

Este artigo pode conter links de afiliados, o que significa que eu ganho uma pequena comissão se fizeres uma compra, sem nenhum custo adicional para ti. Lê o meu aviso legal & política de privacidade para mais informações.

Sem tempo para ler agora? Guarda para depois!

Castelo do Sabugal
Castelo do Sabugal

Breve História do Castelo do Sabugal

No local onde hoje se encontra o centro histórico do Sabugal (incluindo o seu Castelo) foram encontrados inúmeros vestígios arqueológicos, que remontam ao período pré-histórico. Depois disso, este promontório da Serra da Malcata foi ainda ocupado pelos romanos, visigodos e muçulmanos.

Na altura da Reconquista Cristã, esta região foi alegadamente conquistada por D. Afonso Henriques, mas ficou na posse do Reino de Leão. No final do século XII, o rei Afonso IX de Leão fundou a vila do Sabugal, atribuindo-lhe Carta de Foral e mandando construir uma primeira fortaleza militar.

As terras de Riba-Côa sempre foram muito disputadas entre o Reino de Portugal e o Reino de Leão (ou Reino de Castela e Leão, a partir de 1230). Mas depois de terem sido reconquistadas por D. Dinis em 1296, passaram a integrar definitivamente o território português, com a assinatura do Tratado de Alcanizes no ano seguinte.

Foi precisamente este monarca quem mandou reforçar o antigo castelo leonês, acrescentando uma imponente Torre de Menagem. No reinado de D. Manuel I, o Castelo do Sabugal foi requalificado. As obras terminaram em 1515, altura em que a vila recebeu nova Carta de Foral.

Nos séculos seguintes, o Castelo do Sabugal sofreu novas reformas estruturais e alterações à sua função original. Por exemplo, durante a Guerra da Restauração (1640-1668), funcionou como prisão!

Como referi na introdução, o Castelo do Sabugal foi a base das tropas portuguesas e inglesas na Terceira Invasão Francesa (1810-1811). Mas depois de cessados os conflitos, a fortaleza militar foi deixada ao abandono.

Como Chegar ao Castelo do Sabugal

Eu já visitei o Castelo do Sabugal por duas vezes e, em ambas as ocasiões, integrei este monumento num itinerário conhecido como a “Rota das Aldeias Históricas de Portugal”. Isto porque a cidade do Sabugal fica a menos de 15 km de Sortelha e a cerca de 30 km de Belmonte, duas das 12 Aldeias Históricas de Portugal!

Outro roteiro interessante que podes fazer nesta região é o das “5 Vilas Medievais” (também chamado de “Rota dos 5 Castelos”). Este projeto foi criado pelo município do Sabugal e inclui a visita a Alfaiates, Sabugal, Sortelha, Vila do Touro e Vilar Maior.

Horários de Abertura & Preços de Bilhetes

O Castelo do Sabugal está aberto todos os dias, das 10:00 às 13:00 e das 14:00 às 18:00, sendo que a última entrada acontece 15 minutos antes da hora de encerramento (ou seja, às 12:45 e às 17:45).

O bilhete para visitar o Castelo tem um preço fixo de 2€ e também inclui a entrada no Museu do Sabugal (um museu dedicado à histórica, cultura e património do município do Sabugal, com duas salas de exposições de cariz arqueológico, etnográfico e artístico).

O Que Ver no Castelo do Sabugal

Largo do Castelo

O Largo do Castelo (ou Largo Santa Maria de Fátima) está associado a um episódio célebre da História de Portugal: o chamado “Milagre das Rosas”, protagonizado pela Rainha Santa Isabel e por D. Dinis, o seu marido. Ninguém sabe se esta história aconteceu mesmo ao não, mas a sua localização exata é disputada por outras cidades, como Leiria e Coimbra.

Reza a lenda, que a Rainha Santa Isabel saiu do Castelo do Sabugal numa “manhã fria e geada de Inverno” para distribuir pão aos mais desfavorecidos da vila. Esta não era a primeira vez que Isabel de Aragão fazia ações de caridade às escondidas do marido, já que sempre foi considerada uma rainha muito bondosa e era apelidada de “Santa” pelo povo português.

Mas naquele dia, a Rainha Santa Isabel foi intercetada por D. Dinis, que lhe perguntou o que levava no regaço. Ao que parece, o monarca já suspeitava das intenções da esposa, que frequentemente visitava os doentes e dava esmolas aos pobres. Só que D. Isabel respondeu: “São rosas, senhor!”

Desconfiado que a rainha lhe mentia, D. Dinis ripostou: “Rosas, no Inverno?” (pois não era a época delas). Mas a Rainha Santa Isabel abriu o manto e dele caíram rosas, para espanto de todos!

Torre de Menagem

A Torre de Menagem é a estrutura que melhor distingue o Castelo do Sabugal das demais fortalezas medievais em Portugal.

A imponente torre pentagonal é inspirada nas torres templárias e foi inserida numa das muralhas, com o objetivo de defender o portão principal.

Esta opção estrutural contrasta com os castelos românicos, onde era comum construir a torre menagem isolada das muralhas e no interior do recinto.

O seu interior é constituído por vários pisos, coroados por uma belíssima abóbada gótica, que ostenta o escudo nacional com as cinco quinas. Se subires os vários lances de escadas, vais encontrar um terraço amplo, com vistas panorâmicas sobre a zona histórica e a Praia Fluvial da Devesa, na margem do rio Côa.

Praça de Armas

Desde a sua construção até meados do século XVI, a Praça de Armas do Castelo do Sabugal acolhia uma série de residências, já para não falar dos depósitos de armas e outras estruturas de apoio.

Mas com o abandono da fortaleza no final das Guerras Napoleónicas, a população começou a recolher blocos de pedra do recinto, a fim de construir as suas próprias habitações fora das muralhas.

Assim, este pátio interior começou a ser utilizado como cemitério da vila por volta da década de 1840 e manteve estas funções até ao final dos anos 1930.

Além disso, parece impossível imaginar, mas este espaço já acolheu a antiga Igreja de Santa Maria do Castelo! O pequeno templo gótico era quase tão antigo quanto o Castelo do Sabugal e acabou por ser demolido em 1911, devido ao seu estado avançado de degradação.

Recentemente, a Praça de Armas foi convertida num grande anfiteatro ao ar livre, onde decorrem inúmeros concertos, espetáculos e apresentações – sobretudo nos meses quentes de Verão.

Adarve (ou Caminho de Ronda)

O Adarve é um corredor aberto que circunda o topo das muralhas, dando passagem às várias torres e ameias. Em Portugal, é igualmente conhecido como Caminho de Ronda.

O Adarve do Castelo do Sabugal é acedido por quatro escadas internas, situadas em diferentes pontos da Praça de Armas. Tem cuidado a subi-las, porque os degraus são bastante estreitos e escorregadios!

Daqui, podes percorrer todo o perímetro do Castelo do Sabugal e aproveitar para visitar os outros torreões ou fotografar as diferentes perspetivas da paisagem.

Partilha este artigo nas tuas redes sociais!

Mais Artigos sobre Portugal

Mais Artigos sobre Castelos e Palácios

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Scroll to Top