Ágora Antiga De Atenas: Melhores Dicas Para Visitar Em 2023

A Ágora Antiga de Atenas (em grego, Αρχαία Αγορά της Αθήνας ou Archaía Agorá tis Athínas) é um dos locais mais importantes na história da civilização ocidental. Isto porque era o centro administrativo, político, económico, religioso, cultural e social da cidade de Atenas e da Grécia Antiga!

Localizada a noroeste da icónica Acrópole de Atenas, a Ágora Antiga de Atenas era composta por várias dezenas de estruturas e edifícios públicos. Infelizmente, quase todos os monumentos encontram-se em ruínas nos dias que correm. Mas isso não retira à Ágora Antiga de Atenas o prestígio e a relevância de outrora!

Por isso, queres saber mais sobre a Ágora Antiga De Atenas: Melhores Dicas Para Visitar Em 2023? Continua a ler!

Este artigo pode conter links de afiliados, o que significa que eu ganho uma pequena comissão se fizeres uma compra, sem nenhum custo adicional para ti. Lê o meu aviso legal & política de privacidade para mais informações.

Sem tempo para ler agora? Guarda para depois!

Ágora Antiga de Atenas
Ágora Antiga de Atenas

Breve História da Ágora Antiga de Atenas

Segundo os historiadores e arqueólogos, o local onde hoje se encontra a Ágora Antiga de Atenas já era habitada nos tempos pré-históricos, mais precisamente, no Neolítico Tardio (isto é, em 3000 a.C.). Nessa altura, o sítio era usado não só como zona residencial, mas também como cemitério.

No início do século VI a.C. e já durante a Antiguidade Clássica, o espaço tornou-se público e começou a acolher os primeiros edifícios e estruturas. E assim, o recinto da Ágora Antiga de Atenas continuou a ser expandido e configurado nos séculos que se seguiram, apesar dos constantes ataques de povos inimigos.

Com a invasão do Império Bizantino no final do século VI d.C., a Ágora Antiga de Atenas perdeu a sua importância e acabou por ser progressivamente abandonada. Curiosamente, o local regressou à sua função inicial de zona residencial e assim permaneceu até à primeira metade do século XIX!

A primeira campanha de escavações na área da Ágora Antiga de Atenas aconteceu entre 1859 e 1912. Para isso, foi preciso demolir quase 400 casas modernas. As estátuas, armas, joias, moedas e cerâmicas encontradas estão em exposição no Museu da Ágora Antiga de Atenas.

Como Chegar à Ágora Antiga de Atenas

A Ágora Antiga de Atenas encontra-se num enorme espaço ao ar livre, a cerca de 650 metros do Propileu – a porta monumental e entrada oficial da Acrópole de Atenas. E eis outros monumentos e pontos de interesse que podes visitar nas redondezas:

  • Praça de Monastiraki (a 300 metros)
  • Biblioteca de Adriano (a 300 metros)
  • Ágora Romana (a 350 metros)
  • Colina de Filopapo (a 400 metros)
  • Antigo Cemitério de Kerameikos (a 600 metros)

Horários de Abertura & Preços de Bilhetes

A Ágora Antiga de Atenas está aberta todos os dias, das 08:00 às 15:00 (no Inverno) ou das 08:00 às 20:00 (no Verão), sendo que a última entrada acontece às 14:40 ou às 19:40, respetivamente. Os únicos dias de encerramento são a 1 de janeiro, 25 de março (Dia da Independência da Grécia), domingo de Páscoa, 1 de maio, 25 e 26 de dezembro.

Quando aos bilhetes, estes custam 10€ (tarifa normal) ou 5€ (tarifa reduzida). Existe ainda um bilhete combinado a 30€, que é válido durante 5 dias e inclui a entrada em sete sítios diferentes:

  1. Acrópole de Atenas
  2. Ágora Antiga de Atenas
  3. Ágora Romana
  4. Biblioteca de Adriano
  5. Sítio Arqueológico de Kerameikos
  6. Sítio Arqueológico do Liceu de Aristóteles
  7. Templo de Zeus Olímpico

Podes comprar entradas para museus, monumentos e sítios arqueológicos da Grécia na bilheteira online do Ministério da Cultura e dos Desportos grego. Mas também há datas em que o acesso é gratuito, como nos dias:

  • 6 de março (Dia de Melina Mercouri)
  • 18 de abril (Dia Internacional dos Monumentos)
  • 18 de maio (Dia Internacional dos Museus)
  • Último fim de semana de setembro (Dias do Património Europeu)
  • 28 de outubro (Dia de Ohi, ou Dia do Não)
  • Primeiro domingo do mês, entre novembro e março

O Que Ver na Ágora Antiga de Atenas

Estoa de Átalo

A Estoa de Átalo (em grego, Στοά του Αττάλου ou Stoá tou Attálou) foi erguida a pedido do rei Átalo II de Pérgamo, tendo por essa razão recebido o seu nome. As obras decorreram entre 159 e 138 a.C. e resultaram numa estrutura imponente de planta retangular, com 120 metros de comprimento e 20 metros de largura.

Quando foi concluída, a Estoa de Átalo era um dos maiores edifícios de Atenas. Tal como outros monumentos da época, é feita de mármore pentélico e pedra calcária. E as colunas que compõem os seus dois andares são dóricas (colunata externa do rés-do-chão) e jónicas (colunata interna do rés-do-chão e colunata externa do primeiro andar).

Estátua de Afrodite com Eros
Busto do Imperador Antonino Pio

Instalada no lado leste da Ágora Antiga de Atenas, a Estoa de Átalo foi reconstruída entre 1953 e 1956, para acomodar o Museu da Ágora Antiga de Atenas. Esta galeria de arqueologia foi inaugurada em 1957 e é a atração mais visitada do sítio arqueológico, juntamente com o Templo de Hefesto.

Igreja dos Santos Apóstolos

A Igreja dos Santos Apóstolos (em grego, Ναός Αγίων Αποστόλων ou Naós Agíon Apostólon) é o único monumento da Ágora Antiga de Atenas – fora o Templo de Hefesto – que sobreviveu praticamente intacto até à atualidade.

Este templo ortodoxo do século X d.C. fica a poucos metros da Estoa de Átalo e constitui o primeiro grande exemplo de arquitetura religiosa do período bizantino médio, na cidade de Atenas.

Tanto quanto se sabe, a Igreja dos Santos Apóstolos passou por quatro fases de construção distintas. Por exemplo, a planta original consistia numa cruz, com absides dispostas nos quatro lados e um nártex acrescentado ao lado oeste. E, no centro, quatro colunas sustentavam a cúpula.

Odeão de Agripa

O Odeão de Agripa (em grego, Ωδείο του Αγρίππα ou Odeío tou Agríppa) era um edifício grande e luxuoso, destinado à apresentação de espetáculos musicais. Projetado no centro da Ágora Antiga de Atenas por volta do ano 15 a.C., recebeu o nome do seu patrono, Marco Vipsânio Agripa (o genro do Imperador Augusto).

De planta retangular e com dois pisos, o Odeão de Agripa era composto por um palco oblongo, uma orquestra semicircular e uma cávea com lotação até mil espetadores. E o monumento costumava ter um telhado inclinado sem suporte interior, mas este colapsou em 150 d.C.!

Monumento dos Heróis Eponímicos

O Monumento dos Heróis Eponímicos (em grego, Μνημείο των Επωνύμων Ηρώων ou Mnimeío ton Eponýmon Iróon) é um pedestal em mármore com aproximadamente 16 metros de comprimento. Datado de 330 a.C., nele estavam colocadas as estátuas em bronze dos heróis míticos de cada uma das dez tribos de Atenas:

  1. Acamas (em grego, Ἀκάμας ou Akámas)
  2. Ájax (em grego, Αίας ou Aías)
  3. Antíoco (em grego, Ἀντίοχος ou Antíochos)
  4. Cécrope (em grego, Κέκροπας ou Kékropas)
  5. Egeu (em grego, Αιγέας ou Aigéas)
  6. Eneu (em grego, Οινέας ou Oinéas)
  7. Erecteu (em grego, Ερεχθεύς ou Erechthéfs)
  8. Hipotão (em grego, Ιπποθόωντας ou Ippothóontas)
  9. Leos (em grego, Λεώς ou Leós)
  10. Pandião (em grego, Πανδίων ou Pandíon)

Além de um pódio, o Monumento dos Heróis Eponímicos era uma espécie de “centro de informações” da Ágora Antiga de Atenas. Isto porque, nas laterais, havia tábuas de madeira com todo o tipo de anúncios: processos judiciais futuros, decretos legais a serem votados, distinções honoríficas cívicas, listas de cidadãos alistados no exército, etc..

Templo de Hefesto

Sabias que o Templo de Hefesto (em grego, Ναός του Ηφαίστου ou Naós tou Ifaístou) é o templo da Grécia Antiga mais bem preservado do mundo? Ainda assim, é bem menos famoso do que o Partenon, o emblemático templo dedicado à deusa Atena na Acrópole de Atenas!

O Templo de Hefesto foi construído entre 460 e 415 a.C. e convertido na Igreja de São Jorge no século VII d.C.. O seu nome é uma homenagem a Hefesto, o deus do fogo, dos metais e dos ferreiros na mitologia grega – e cujo equivalente era Vulcano, na mitologia romana.

Partilha este artigo nas tuas redes sociais!

Mais Artigos sobre a Grécia

Mais Artigos sobre Sítios Arqueológicos

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Scroll to Top